“Porque eu te amo todos os dias, cada vez mais.”
Ele, a melhor parte de mim. (via on-repairs)


“Eu sei que brigamos, discutimos, brigamos de novo, de novo, e de novo, e depois a gente sente falta, volta, se olha, se beija, se ama, se encaixa e se faz feliz. E não há escape. É você que eu amo, é pra você que eu volto e é de você que eu sou. Para sempre. Vou me esforçar mais para te fazer o mais feliz do mundo, para te fazer se apaixonar por mim outra vez, vou te perguntar todos os dias quando estiver acordando ao seu lado “O que preciso fazer para te apaixonar hoje? ”.”
— Karina Alves (via im-previ-sivel)


“Adeus você. Eu hoje vou pro lado de lá. Eu tô levando tudo de mim que é pra não ter razão pra chorar. Vê se te alimenta e não pensa que eu fui por não te amar. Cuida do teu pra que ninguém te jogue no chão. Procure dividir-se em alguém, procure-me em qualquer confusão. Levanta e te sustenta e não pensa que eu fui por não te amar. Quero ver você maior, meu bem, pra que minha vida siga a diante. Adeus você. Não venha mais me negacear. Teu choro não me faz desistir, teu riso não me faz reclinar. Acalma essa tormenta e te aguenta, que eu vou pro meu lugar. É bom, às vezes, se perder sem ter porque, sem ter razão. É um dom saber envaidecer, por si, saber mudar de tom. Quero não saber de cor, também… Para que minha vida siga adiante.”
Los Hermanos.  (via oxigenio-dapalavra)

“Escrever era estranho. Eu precisava escrever, era como uma doença, uma droga, uma forte compulsão, mas não me agradava pensar em mim mesmo como um escritor. Talvez tivesse conhecido escritores demais. Eles levavam mais tempo falando mal uns dos outros do que fazendo seu trabalho. Eram nervosos, fofoqueiro, velhas solteironas; viviam se lamentando, dando facadas, inchados de vaidade. Eram esses os nossos criadores? Sempre fora assim? Provavelmente sim. Talvez escrever fosse uma forma de lamento. Alguns simplesmente se lamentavam melhor que outros.”
Charles Bukowski.  (via oxigenio-dapalavra)





“- Eu nunca gosto de nada, e gostei tanto de você.
- É?
- Droga.
- O quê?
- Eu falando de gostar.
- E daí?
- E daí que vai acontecer tudo de novo.
- O quê?
- Vou sentir demais, falar demais, escrever demais. E você vai embora.”
Tati Bernardi (via soupoetico)


“Algumas pessoas vão te testar, outras vão te usar e outras vão te ensinar… mas as mais importantes são aquelas que fazem o melhor pra você, te respeitam e te aceitam como você é, essas sim valem a pena manter por perto porque na vida há pessoas que nos tiram mas há também muitas pessoas que nos devolvem e nos acrescentam.”
Vi por ai…  (via perigeu)



theme nostalgia-surreal;
12345678
Bárbara, felicidade, energia, vida, 18.
I promise i'm worth it